quarta-feira, 5 de junho de 2013

Momentinhos de leitura: 50 fábulas da China fabulosa

Hora da leitura! Vamos ao conto do dia!

Hoje teremos uma fábula do livro "50 fábulas da China Fabulosa", de organização e tradução de Sérgio Capparelli e Márcia Schmaltz. Editora: L&PM.


O Elixir da Imortalidade
Liu Xang
pág 41

Um homem chegou ao palácio do rei Chu para lhe entregar o elixir da imortalidade. O oficial da guarda disse que o homem não podia passar e que ele mesmo faria a entrega do elixir.
Quando o oficial da guarda levava o elixir da imortalidade ao rei, foi interpelado por um oficial superior. Ele disse que o oficial da guarda não podia entrar nos aposentos do rei e que ele mesmo faria a entrega do elixir.
Quando o oficial da guarda se retirou, o oficial superior, que também queria ser imortal, bebeu o elixir de um gole só. O rei descobriu e, furioso, condenou-o à morte.
O oficial superior pediu clemência ao rei:

- Se tentar me matar e eu não morrer, porque me tornei imortal, todo o mundo vai rir de Vossa Majestade por querer matar quem não pode morrer.

O rei pensou um pouco e disse:

- Se o elixir não fizer efeito, você morre do mesmo jeito.

- Se tentar me matar e eu morrer de verdade - falou o oficial -, vão dizer que o rei é bobo, pois foi ludibriado pelo vendedor do falso elixir da imortalidade.

O rei percebeu que estava numa situação difícil e perguntou:

- O que me sugere?

- Para preservar a sua reputação, sugiro que me liberte.

O rei Chu achou que o oficial estava certo e suspendeu a ordem de execução.

Curta nossa página no Facebook, clicando aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário